Em excesso ele pode favorecer o aparecimento de diabetes.
Carboidrato presente em frutas ou vegetais, o açúcar é produzido por meio da fotossíntese. “Glicose e frutose são ligadas às plantas em forma de sacarose, conhecida como açúcar”, explica a nutricionista Viviane Pereira.
As principais fontes para a obtenção desse carboidrato são a cana e a beterraba.

blog2

No organismo

“O açúcar, principalmente na forma de glicose, é utilizado como fonte de energia pelo organismo. Após o processo de digestão dos carboidratos, esses são convertidos em glicose e, dessa forma são estocados e utilizados como fonte de energia pelas células”, aponta Viviane.

Além de não proporcionar benefício algum para a saúde, já que podemos obter glicose (energia) de outras fontes alimentares, como frutas, cereais e tubérculos, o consumo do açúcar estimula a liberação de insulina pelo pâncreas. De acordo com Viviane, a insulina é o hormônio responsável por fazer a glicose entrar nas células e, assim, elas conseguem exercer suas funções. “O consumo exagerado do açúcar pode ir sobrecarregando o pâncreas, que tem sua produção diminuída ou até mesmo parada, favorecendo o aparecimento do diabetes”, esclarece a nutricionista.


Os tipos

No mercado podemos encontrar diversas variedades desse carboidrato que adoça os nossos paladares, mas você sabe a diferença entre eles? A nutricionista Eliane Arena explica pra você.

– Açúcar refinado: calórico, é o tipo mais procurado nos supermercados. “Para obter o sabor irresistível e a brancura característica, utilizam o enxofre no processo de industrialização e refinamento”, explica. Isso faz com que haja a perda de todas as vitaminas e minerais.

– Açúcar mascavo: produzido pelo caldo de cana recém extraído da planta, ele mantém o melaço que possui grandes quantidades de ferro e cálcio. Mais saudável, ele possui o mesmo valor calórico que o açúcar refinado.   

– Açúcar demerara: com a tonalidade dourada, resultado de um leve refinamento que não tem ação de nenhum aditivo químico, ele mantém importantes nutrientes, como fósforo e magnésio.

 

Dia-a-dia

Eliane também sugere 2 alimentos que podem substituir o açúcar em suas refeições. Confira!

– Tâmara: basta hidratar a fruta seca em água morta e bater no liquidificador para fazer um caramelo. Além de saborosa, é rica em potássio, cálcio e ferro.

– Açúcar de coco: com valor nutritivo elevado, ele possui menos calorias e é fonte de vitaminas do complexo B, como B1, B2, B3 e B6.

 

Fique de olho!

“Sucos prontos e refrigerantes possuem grande quantidade de açúcar oculto”, finaliza Eliane.

 

#FICADICA

Viviane sugere adicionar as frutas in natura nas preparações para garantir um gostinho adocicado: um bom exemplo é para o preparo de suchás, que são sucos de fruta batidos com o chá”, ensina. A dica é escolher as frutas da estação, que estarão doces e com o preço mais bacana.


Consultoria:
Eliane Petean Arena, nutricionista; Viviane Pereira, nutricionista da Rede Mundo Verde.

OBS: Recebemos mensagens falando sobre o uso de ossos de origem animal na fabricação do açúcar. Nenhuma das nutricionistas consultadas para a elaboração dessa matéria falaram sobre o assunto. Em uma busca pelo site Vista-se, encontramos um artigo de março de 2014 (https://vista-se.com.br/ossos-de-boi-carbonizados-na-producao-de-acucar-lenda-urbana-ou-verdade/) falando sobre o assunto. No texto eles até esclarecem que enviaram e-mail para a assessoria de imprensa de diversas usinas e não receberam resposta, mas consultaram outras fontes que explicaram que a utilização dos ossos no processo de clareamento do açúcar encarecia a produção, então, atualmente, a maioria das usinas, utiliza procedimentos químicos para clarear.

Apaixonada por corujas, balões, livros e chocolate. Formada em jornalismo, já atuou como redatora em revistas femininas na Editora Alto Astral. Queria estudar gastronomia, moda e design, mas por enquanto ocupa os dias como Analista de Mídias Sociais em um estúdio de tatuagem e assistindo séries no Netflix.