Fitoterápicos 

Se antes nós precisávamos acreditar na sabedoria popular para saber como uma erva/planta poderia ser utilizada, agora a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicou um manual de prescrição de fitoterápicos e isso vai facilitar muito a nossa vida. Chamado de “Memento Fitoterápico”, a “cartilha” reune informações sobre diversas plantas: indicações, contraindicação, posologia e etc.
Pra facilitar para você nós listamos abaixo as principais informações do documento. Vem ver!

Calendula o cinalis L

Nome popular: Calêndula.
Parte utilizada: flores.
Indicação: uso externo como anti-inflamatório, cicatrizante e anti-séptico.
Contraindicações: além alérgicos às plantas da família Asteraceae, também não deve ser administrado durante a gravidez, lactação ou para crianças (sem supervisão médica).
Precauções de uso: não há informações sobre precauções gerais.
Formas farmacêuticas: infuso
Administração e posologia:
Infusão – três vezes ao dia com o auxílio de algodão ou sob forma de bochechos e gargarejos (1 a 2g por 150ml de água);
Tintura – bochechos ou gargarejos com 25ml de tintura diluída em 100ml de água
Gel – aplicar na área afetada três vezes ao dia;
Creme ou pomada – aplicar na área afetada três vezes ao dia no caso de eczemas ou uma vez ao dia no caso de feridas.

Lippia sidoides Cham

Nome popular: Alecrim-pimenta, Alecrim-bravo.
Parte utilizada: folhas e flores.
Indicação: anti-inflamatório, antisséptico (boca), afecções na pele e no couro cabeludo.
Contraindicação: A infusão não deve ser usada em inalações devido à ação irritante dos componentes. Em forma de sabonete líquido é contraindicado para pessoas com hipersensibilidade ao fitoterápico. Gestantes, lactantes, crianças menores de dois anos, alcoólatras e diabéticos devem utilizar apenas com prescrição médica.
Precauções de uso: Não engolir o produto após o bochecho e gargarejo. Manter fora do alcance de crianças.
Formas farmacêuticas: infuso, tintura, consultório à base de óleo essencial, gel, gel-creme e sabonete liquido.
Administração e posologia:
Uso externo
Infusão – de 2 a 3 colheres de chá em 150 ml de água, fazer bochechos e/ou gargarejos duas ou três vezes ao dia;
Tintura – após higienização, aplicar 10 ml da tintura diluída em 75 ml de água, com auxílio de um pedaço de algodão, três vezes ao dia. Fazer bochechos ou gargarejos com 10 ml da tintura diluída em 75 ml de água, três vezes ao dia;
Gel – aplicar nas áreas afetadas de uma a três vezes ao dia;
Sabonete líquido – durante o banho, aplicar na área afetada, deixando o sabonete em contato por 10 minutos. Lavar com água corrente.

camomila2padraoartigos

Rhamnus purshiana DC

Nome popular: Cáscara-sagrada
Parte utilizada: cascas secas. A casca fresca não deve ser consumida, deve ser rica por 1 ano ou envelhecida artificialmente.
Indicação: para tratamento de curto prazo da constipação intestinal ocasional.
Contraindicação: não deve ser administrado a pacientes com obstrução intestinal e estenose, atonia, doenças inflamarias do cólon, apendicite, desidratação grave ou constipação intestinal crônica. Também é contraindicada para pacientes com dores, celíacas, hemorroidas, nefrite ou qualquer sintoma de distúrbios abdominais não diagnosticados, como dor, náuseas ou vômitos.
Precauções de uso: não deve ser utilizada de forma continua por mais de 2 semanas.
Formas farmacêuticas: cápsulas e comprimido, tintura e extrato fluído.
Administração e posologia:
Oral
Vegetal – de 0,3 a 1,0g em dose única diária;
Extrato seco – de 57 a 108mg em dose única diária
OBS: Administrar preferencialmente ao deitar, ou em duas doses divididas, uma pela manhã e outra pela noite ao se deitar.

Aloe vera (L.) Burm.f.

Nome popular: Babosa, aloe.
Parte utilizada: gel incolor de folhas frescas.
Indicação: queimaduras de primeiro e segundo grau, cicatrizante.
Contraindicações: alérgicos às plantas da família Xanthorrhoeaceae.
Formas farmacêuticas: gel e pomada.
Precauções de uso: não utilizar o produto se apresentar alteração da coloração.
Administração e posologia: aplicar na área afetada de uma a três vezes ao dia.

babosapadraoartigos

Equisetum arvense L

Nome popular: Cavalinha
Parte utilizada: folhas e partes aéreas
Indicação: diurético
Contraindicação: para pacientes nos quais a ingestão reduzida de líquidos é recomendada. Contraindicado para menores de 12 anos, grávidas, lactantes e pacientes com histórico de hipersensibilidade e alergia a qualquer um dos componentes do fitoterápico
Precauções de uso: A ingestão crônica diminui níveis da vitamina B1 e o efeito diurético pode causar a perda de potássio. Em pacientes que apresentam insuficiência renal crônica e que fazem uso de medicamentos que alteram níveis de potássio, pode causar hipercalemia. Se ocorrer febre, espasmos e disúria durante o uso do fitoterápico, um médico deverá ser consultado.
Formas farmacêuticas: capsulas e chá.
Administração e posologia:
Infusão – 2 a 3g em 250ml de água fervente. No máximo 4 doses diárias.

Matricaria chamomilla L

Nome popular: Camomila, matricária, maçanilha.
Parte utilizada: flores
Indicação: Antiespasmódico (combate espasmos), ansiolítico e sedativo leve. Anti- infamatório em afecções da boca (lábios, gengiva, língua, dentes e céu da boca).
Contraindicação: gestantes, pacientes com hipersensibilidade ou alergia a planta.
Precauções de uso: não há informações sobre precauções gerais.
Formas farmacêuticas: infuso, cápsulas ou comprimidos e extrato fluído.
Administração e posologia:
Oral
Infusão – 150ml (de 5 a 10 minutos após o preparo), 3 ou 4 vezes entre as refeições (apenas para pessoas com idade superior a 12 anos);
Bochecho/gargarejo – de 5 a 10 minutos após o preparo do chá, 3 vezes ao dia.
Uso externo
Compressas – utilizar a infusão preparada com 30 a 100g em 1 litro de água;
Infusão – de 6 a 9g em 150ml de água ou de 30 a 100g em 1 litro de água.

#FICAADICA

Aqui nós listamos apenas alguns dos fitoterápicos citados no documento da Anvisa. Mas se você conhece outros e quer saber como ele deve ser utilizado, o “Memento Fitoterápico” pode ser baixado nesse link.
Lembrando que você deve se certificar de que a erva que você pretende usar é mesmo a que está listada na cartilha. Um rápida pesquisa no Google pode te auxiliar na hora de distinguir uma erva da outra.

Thais Farias
Apaixonada por corujas, balões, livros e chocolate. Formada em jornalismo, já atuou como redatora em revistas femininas na Editora Alto Astral. Queria estudar gastronomia, moda e design, mas por enquanto ocupa os dias como Analista de Mídias Sociais em um estúdio de tatuagem e assistindo séries no Netflix.