Vamos falar sobre a Soja?

Leguminosa rica em nutrientes, fibras e minerais essenciais para a saúde, ela possui baixo teor de sódio. Além disso, a soja contém alto teor de gorduras mono e poli-insaturadas (gorduras do bem) e baixo teor de gorduras ruins. “E é isenta de colesterol”, esclarece a nutricionista Eliane Arena.

De acordo com a professora de nutrição da Universidade Anhembi Morumbi, Maria Claudia Hauschild, a soja é considerada uma proteína de alto valor biológico por conter aminoácidos em quantidades equivalentes à proteína de origem animal de alta qualidade, como a do ovo e a do leite. Ela ainda contém cerca de 50% de proteína em sua composição.

Boa para o coração

“As isoflavonas da soja realmente atuam na redução do colesterol presente no plasma e também diminuindo a concentração do HDL sanguíneo, tornando-se, com isso, aliado da prevenção das doenças cardiovasculares”, explica Eliane Arena.

Deficiências…

Um dos componentes da soja em grão, e diversas outras leguminosas, como feijões, é o ácido fítico (fitato), que é conhecido por bloquear a absorção de minerais com o cálcio, ferro, zinco e cobre.

“Essas substâncias podem ser inativadas pelo calor, sendo que o processo térmico não traz nenhum prejuízo nutricional para a soja”, garante Maria Claudia. Além do mais, os grão precisam ser deixados de molho antes de serem cozidos. (Iremos abordar a importância desse procedimento em nosso próximo texto.)

Infertilidade?

Algumas pesquisas divulgadas massivamente na internet, como uma de origem irlandesa, tem apontado a soja como causadora de infertilidade masculina. Mas, segundo Maria Claudia, não há nenhuma comprovação que a soja possa afetar a fertilidade do homem.

Soja em grãos

Modificada geneticamente

A soja transgênica é aquela que foi obtida graças as técnicas que afetam o DNA de sua composição. “Essas alterações são realizadas artificialmente com a inclusão de genes de espécie diferente”, aponta Eliane. Segundo a nutricionista, ainda não podemos conhecer o real alcance dos prejuízos dos transgênicos em geral para a nossa saúde. Em 2014, de acordo com a Céleres (Consultoria Focada na Análise do Agronegócio), mais de 90% da soja produzida no Brasil foi transgênica.

Proteína Texturizada de Soja (PTS) 

É obtida através de um processo conhecido como extrusão termoplástica, que é o tratamento em altas temperaturas para que ocorram mudanças físicas, químicas e bioquímicas nos grãos. “O produto final possui alto teor de proteína”, aponta Eliane.

Sobre os malefícios da PTS, Eliane garante que, como qualquer outro alimento, o consumo não deve ocorrer em excesso para que não haja sobrecarga orgânica.

Tofu

Muito utilizado da culinária japonesa, ele é obtido a partir do leite de soja talhado. Também conhecido como queijo de soja, possui alto teor de proteínas.

“Além de suas características protéicas, o tofu é rico em várias vitaminas, minerais e cálcio, além de ser pouco calórico e apresentar fácil digestibilidade, o que o torna propício para o consumo”, conclui Eliane.

#FICAADICA

A nutricionista Eliane Arena explica qual a diferença entre 3 tipos de soja. Confira!

Soja híbrida:

É aquela que surge a partir do cruzamento genético de tipos de soja diferentes, conhecido como melhoramento genético.

Soja transgênica:

Apresenta alterações no DNA, realizadas em laboratórios de forma artificial.

Soja orgânica:

É aquela que não há a utilização de nenhum tipo de agrotóxico na produção e nenhum sinal de transgenia.

Fonte: Maria Claudia Hauschild, professora de Nutrição da Universidade Anhembi Morumbi
Eliane Arena, nutricionista;

Apaixonada por corujas, balões, livros e chocolate. Formada em jornalismo, já atuou como redatora em revistas femininas na Editora Alto Astral. Queria estudar gastronomia, moda e design, mas por enquanto ocupa os dias como Analista de Mídias Sociais em um estúdio de tatuagem e assistindo séries no Netflix.